Marketing digital e anúncios Online devem superar TV até 2016

16 de maio de 2015, às 0:56, por José Maria Morettoni

Marketing digital e anúncios Online devem superar TV até 2016

Em matéria recente  o NYT traçou um panorama detalhado sobre a situação atual do mercado publicitário norte americano. O texto aborda a analise de especialistas sobre o rumo que os orçamentos de publicidade das grandes empresas vem tomando, tendo por base o reconhecimento de uma audiência crescente nos canais digitais.

Nós preparamos um resumo com os principais pontos abordados pelo texto, que reflete uma realidade global. Mas Você também pode ver a matéria original , em inglês, clicando aqui .

As redes de televisão passam por um período delicado nos EUA e tentam renovar suas cotas de publicidade em um momento de grande ansiedade da indústria. A audiência da TV está entrando  em colapso e as redes estão sofrendo forte concorrência  dos canais digitais . Só este ano, a audiência caiu 9% em relação ao ano anterior .  Para justificar a queda, analistas apontam que o aumento de tempo que as pessoas passam em aplicativos como o Netflix, ou outros serviços de stream . Segundo MoffettNathanson , fonte indicada na publicação , As visualizações do Netflix representaram cerca de 43% da queda  de visualizações  de TV tradicional no primeiro trimestre deste ano  .

Diferentemente dos anos anteriores, em que a perda de audiência não  acarretou uma queda significativa no valor dos contratos, uma vez que o público da internet era considerado mais  fragmentado, e a televisão convencional permanecia como o  melhor meio para  alcançar um grande número de espectadores .

Hoje ganha força  a idéia de que até a televisão tradicional está se fragmentando, tanto é que as grandes redes de televisão  já disponibilizam sua programação , ao menos boa parte dela, através de serviços de streaming. Com o número de alternativas digitais crescendo rapidamente, e com os comerciantes que procuram uma maior flexibilidade na forma como alocar seus gastos, a tendência é que as redes de TV não consigam manter a lucratividade dos contratos de publicidade de anos anteriores ,  e devem ter uma queda média de 7% .   10% para as redes abertas e 5% para as redes de  TV a cabo.

Considere ainda que alguns  canais digitais de muito sucesso  ainda não disponibilizam anúncios,  o Netflix  entre eles.  Hoje a publicidade é feita em alternativas como  o snapchat, Vine e YouTube, que  tem audiência crescente  , especialmente  entre as camadas mais jovens, que  estão gastando uma quantidade de tempo cada vez maior na plataforma. A lógica pode ser explicada  tanto pelo  gosto do público paelos conteúdos sob demanda,  mas também porque podemos concluir que  o aumento da demanda por anúncios na plataforma,  estimule e canais e profissionais a usar a plataforma para divulgar seus conteúdos e permite modelos  que permite  produções cada vez melhores. Outro ponto positivo é que a publicidade é padronizada, então os anúncios pouco interferem na qualidade da programação, que não precisam criar recursos explicitos apra obrigar o usuário a assistir determinado anúncios. As condições são bem mais livres, tudo é  menos amarrado .

Segundo Magna Global, a previsão é que o total de receitas publicitárias da TV se manterão estáveis ao longo de todo ano, ao passo que os gastos em mídia digital aumentarão  quase 20% . O grupo prevê que as receitas de anúncios de mídia digital irá corresponder a receitas publicitárias da televisão até o final de 2016.

As redes de televisão estão apresentando uma série de produtos digitais que complementam a programação da TV. É uma forma de se atualizar. Além do stream de sua programação online, a TV procura aumentar a eficácia de seus anúncios , apurando  dados sobre a audiência para melhor  segmentação. Os executivos também estão destacando a capacidade da televisão para alcançar grandes audiências, e grandes eventos, como esportes e shows de premiação, neste setor, sem dúvida ainda dominam.

Outros analistas advertem que o fim da  TV ainda está bem distante. “É menos impactante do que era, mas ainda assim  supera todo o restante”, disse Brian Wieser, analista de mídia com Pivotal Research.

Estamos chegando mais perto do ponto em que o mundo muda.. ”

Seguimos acompanhando!

 

 

José Maria Morettoni

  • facebook
  • facebook

Compartilhe:

Deixe seu comentário!

Você também pode gostar de:

Marketing digital e anúncios Online devem superar TV até 2016

Em matéria recente  o NYT traçou um panorama detalhado sobre a situação atual do mercado publicitário norte americano. O texto aborda a analise de especialistas sobre o rumo que os orçamentos de publicidade das grandes empresas vem tomando, tendo por base o reconhecimento de uma audiência crescente nos canais digitais. Nós preparamos um resumo com […]

O Papel da tecnologia

A julgar pelo andamento deste primeiro trimestre2015 será um ano de muitos desafios para que as empresas e profissionais atinjam suas expectativas de crescimento econômico. É natural que a preocupação gerada pela instabilidade política vivida pela sociedade Brasileira, aliada a uma crise de crescimento da econômica global , altere a confiança quanto a saúde do […]

Como funciona a busca natural do Google

O que é a busca natural ? Busca natural é o resultado de uma pesquisa realizada por um usuário em um mecanismo de busca. Falando de forma simplificada, o buscador avalia diversas informações sobre cada página da web e as classifica dependendo de disposição de sua estrutura e conteúdo, tendo por base uma série de […]